Fotografia impressa e propaganda em Portugal no Estado Novo

Muga, 2021
ISBN 978-84-09-31538-3
Tapa dura
Edición bilingüe portugués-inglés
238 fotografías
400 páginas
16,5 x 24 cm.

Textos de Filomena Serra, Paula André, Manuel Villaverde Cabral, Javier Ortiz-Echagüe, Eduardo Cintra Torres, José Guilherme Victorino, Natasha Revez, Sofia Leal Rodrigues, Patrícia Ferraz de Matos, Susana Lourenço Marques, Luciene Lehmkuhl, Israel Guarda, Ana Barata, Heloísa Paulo, José Oliveira, Filipa Subtil, Filipa Lowndes Vicente, Maria Manuela Gomes, Leonor Pires Martins, Patrícia Ferraz de Matos, Inês Vieira Gomes, Afonso Dias Ramos, João Leal, Vasco Ribeiro, Susana S. Martins, Paul Melo e Castro y Ros Boisier

Fotografías de Fábio Cunha


 

SABER MÁS ACERCA DEL LIBRO

Estado Novo e fotografia, um amor sem fim. Por Sérgio B. Gomes, Ípsilon / Publico
“A intensa e megalómana produção editorial do Estado Novo já merecia um livro assim: que nos identificasse, título a título, o que de mais relevante o regime salazarista deu à estampa. Fotografia Impressa e Propaganda em Portugal no Estado Novo não se fica pela retórica visual nacionalista, convoca também quem ousou dar-lhe resposta”

Nada Será Como Dante. Episódio 40. RTP2 (04.01.2022) > min. 11:10 – 19:22

Uma história da fotografia e da propaganda impressa no Portugal do Estado Novo. Observador

A história da fotografia impressa começa a ser vista a partir do Estado Novo. Por Sebastião Almeida, Sábado
A produção imagética do Estado Novo é tão prolífera que deu origem a um livro. ‘Fotografia Impressa e Propaganda no Estado Novo’ analisa 50 títulos, publicados entre 1928 e 1974, que ajudam a compreender a (rica) cultura visual do regime e dos artistas que lhe fizeram frente.

 

Fotografia impressa e propaganda em Portugal no Estado Novo

Filomena Serra (Ed.)

Historia de la fotografía

49,90

Cantidad

Um estudo sobre a fotografia produzida como instrumento de propaganda política durante o Estado Novo

Através da montagem e da fotomontagem, a fotografia impressa durante o Estado Novo em Portugal explorou as possibilidades narrativas e conotativas da imagem em diferentes media, tornando-se relevante tanto na propaganda oficial como nos discursos de oposição ao regime.

Resultado de um projecto de investigação, Fotografia impressa e propaganda em Portugal no Estado Novo constitui-se como uma referência para historiadores, investigadores, colecionadores e fotógrafos. O livro inclui 238 reproduções de 50 publicações históricas que vão desde 1928 até ao final da ditadura (livros, revistas ilustradas e catálogos), organizadas em quatro capítulos temáticos e acompanhadas por comentários que resumem e contextualizam cada uma das publicações referidas. A selecção proposta por Filomena Serra está também aberta à inclusão de algumas publicações de ‘protesto’ ou que apresentam um discurso alternativo às encenações e estereótipos das imagens oficiais: o surrealismo de Fernando Lemos, o humanismo de Palla e Martins ou as visões críticas em relação ao regime. Completam a selecção algumas publicações sobre Portugal surgidas fora do próprio país.

Livro seleccionado para o prémio Historical Book de Les Rencontres Internationales de la Photographie d’Arles.

//

Un estudio sobre la fotografía producida como herramienta de propaganda política durante el Estado Novo en Portugal

A través del montaje y el fotomontaje, la fotografía impresa durante el Estado Novo en Portugal exploró las posibilidades narrativas y connotativas de la imagen en diferentes medios, adquiriendo relevancia tanto en la propaganda oficial como en los discursos de oposición al régimen.

Resultado de un proyecto de investigación, Fotografia impressa e propaganda em Portugal no Estado Novo es una referencia para historiadores, investigadores, coleccionistas y fotógrafos. El libro contiene 238 reproducciones de 50 publicaciones históricas que van desde 1928 hasta el final de la dictadura en 1974 (libros, revistas ilustradas y catálogos), organizadas en cuatro capítulos temáticos y acompañadas con comentarios que resumen y contextualizan cada una de las publicaciones referenciadas. La selección propuesta por Filomena Serra incluye también algunas publicaciones de ‘protesta’ o que plantean un discurso alternativo a la imagen oficial: el surrealismo de Fernando Lemos, el humanismo de Palla y Martins o las visiones críticas con el régimen autoritario de Salazar. Completan la selección algunas publicaciones sobre Portugal aparecidas fuera del propio país.

Libro finalista del premio Historical Book de Les Rencontres Internationales de la Photographie d’Arles.

Fotografia impressa e propaganda em Portugal no Estado NovoFotografia impressa e propaganda em Portugal no Estado NovoFotografia impressa e propaganda em Portugal no Estado NovoFotografia impressa e propaganda em Portugal no Estado NovoFotografia impressa e propaganda em Portugal no Estado Novo

 

SABER MÁS ACERCA DEL LIBRO

Estado Novo e fotografia, um amor sem fim. Por Sérgio B. Gomes, Ípsilon / Publico
“A intensa e megalómana produção editorial do Estado Novo já merecia um livro assim: que nos identificasse, título a título, o que de mais relevante o regime salazarista deu à estampa. Fotografia Impressa e Propaganda em Portugal no Estado Novo não se fica pela retórica visual nacionalista, convoca também quem ousou dar-lhe resposta”

Nada Será Como Dante. Episódio 40. RTP2 (04.01.2022) > min. 11:10 – 19:22

Uma história da fotografia e da propaganda impressa no Portugal do Estado Novo. Observador

A história da fotografia impressa começa a ser vista a partir do Estado Novo. Por Sebastião Almeida, Sábado
A produção imagética do Estado Novo é tão prolífera que deu origem a um livro. ‘Fotografia Impressa e Propaganda no Estado Novo’ analisa 50 títulos, publicados entre 1928 e 1974, que ajudam a compreender a (rica) cultura visual do regime e dos artistas que lhe fizeram frente.